JAC T5 eleva o nível do carro chinês

A JAC prometeu que o T5 chegaria imprimindo um novo padrão para o carro chinês vendido no Brasil. Bom, de prático, o T5 chegou às lojas em março deste ano e dá pra dizer sim que ele é diferente. Modelo do tipo utilitário-esportivo compacto ( ou crossover compacto), proposta que se transformou na modinha do mercado daqui e de fora, o T5 agrada bastante. Bonito por fora, com espaço justo por dentro e bem equipado, o carro tem personalidade, mesmo com as críticas de que imita o desenho de outros mais famosos. Mas a verdade é que o T5 ainda está naquele quase!

Digo isso baseado na expectativa de quem paga pra ver um modelo chinês realmente alinhado com o que temos em carros de origem americana, francesa ou alemã, por exemplo. O T5 é completão, traz um moderno sistema multimídia que permite até espelhamento de smartphone, ar-condicionado, direção com assistência elétrica, etc, mas ainda carrega uns pontinhos fracos típicos dos carros da marca chinesa. Isso você percebe em sutilezas como o cheiro dos materiais utilizados no acabamento ou mesmo na dificuldade para ajustar a altura do som quando liga o rádio.

Depois, talvez o mais frustrante, tem a limitação do motor 1.5 flex de 127 cavalos de potência com etanol, e 15,7 Kgfm de torque. É o mesmo que equipa a linha J3 e que resolve bem a vida do hatch, mas que não entrega tudo o que o T5 merece. Por enquanto só oferece transmissão manual de seis marchas, o que é bom para reduzir o consumo. Só que, na prática, ele é lento em retomadas e exige muitas trocas de marcha para andar bem. Ou seja, além do incômodo de ficar fazendo redução de marcha, é difícil garantir consumo baixo de combustível.

Então o T5 não é um bom carro? Não dá pra dizer isso, porque ele entrega muita coisa interessante e por um preço bastante competitivo em relação aos concorrentes diretos. Por isso, aqui vale a máxima de analisar com muita calma qual é a sua real necessidade, qual a expectativa em relação ao carro que pretende colocar na sua garagem. Raciocínio, aliás, que vale para todos os modelos, independente de marca ou preço.

Aproveite pra dar uma conferida em todos os detalhes do T5 nesta matéria feita para o programa Auto+.

 

Farol baixo na estrada é lei

Farol baixo aceso durante o dia na estrada agora é obrigatório no Brasil, o que é uma ótima notícia. A nova lei 13.290/2016 foi sancionada no último dia 24 de maio pela presidência da república e passa a valer em 45 dias contados a partir da data de publicação. Então, pode ficar atento que a partir do próximo dia 08 de julho o desrespeito à nova lei será considerado como infração média, com multa de R$ 85,13 e quatro pontos na CNH. Até então, luz acesa para os automóveis só era obrigatório à noite e em túneis.

ESTRADA

Para quem não acredita, vale pensar nisso. O simples hábito de utilizar o farol aceso na estrada faz muita diferença porque aumenta consideravelmente a chance de ser visto por quem vem em sentido contrário numa manobra de ultrapassagem, para dar um exemplo. Mas o farol aceso ajuda também em trechos com muitas curvas e em dias de muito sol. Enquanto julho não chega, os policiais rodoviários já começam as ações de alerta e orientação para os motoristas em todo o país.

Um Nissan Sentra mais abusado

A Nissan foi mais rápida e lançou o Sentra 2017 antes da chegada dos novos Chevrolet Cruze e Honda Civic que estão vindo aí. Com um confortável terceiro lugar nas vendas do segmento de sedãs médios, o Sentra ficou melhor para, no mínimo, manter essa condição.

Sentra17_1

Para quem se incomodava com o visual mais sóbrio, agora o Sentra está um pouco mais abusado e até com um toque de esportividade. A frente foi o ponto que mais mudou, com alterações na grade, para-choque e nos faróis que podem vir com LED na versão topo. Na traseira, quase não dá pra perceber alteração: só o para-choque cresceu um pouco e a iluminação da lanterna foi reposicionada.

Sentra SL - 3-4 Traseira

A Nissan aproveitou a nova linha para mexer as versões, e isso foi legal, porque agora desde a primeira versão o Sentra vem com controles de tração e estabilidade, por exemplo, além de sensor de estacionamento, retrovisor fotocrômico, faróis automáticos, tela 5 polegadas para o sistema de som, direção com assistência elétrica e rodas aro 16. Nas versão topo de linha, a SV, tem seis airbags, alerta anticolisão frontal, sensores de ponto cego, painel de instrumentos digital com tela de 5,3 polegadas, sistema de som com oito alto-falantes, entre outros.

Sentra S - Painel

Outra novidade é que o Sentra não oferece mais a transmissão manual, agora só automática do tipo CVT.  O motor segue o mesmo 2.0 flex de 140 cv e 20 Kgfm de torque, que não é super empolgante, mas também não frustra. No final, o Sentra continua entregando aquilo que um bom sedã precisa: um rodar bastante seguro e confortável, bom espaço para passageiros e bagagens, além de bom conteúdo tecnológico e de segurança. Só faltou mesmo um pouco de arrojo com uma nova motorização, algo que os concorrentes Civic e Cruze já sinalizaram que estão fazendo.

Veja os preços do Nissan Sentra 2017

Versão S / R$ 79.990

Versão SV / R$ 84.990

Versão SL / R$ 95.990

Sim, SUVs são o futuro

Definitivamente, os SUVs – Sport Utility Vehicle – seguem como a grande aposta para o futuro. Pelo menos é o que mostrou a pesquisa feita pela Ford na Europa, que tomou essa iniciativa para entender o porquê de tanto movimento neste segmento. Segundo dados oficiais, desde 2005, as vendas de SUVs quadruplicaram no mercado europeu.

FORD SUVS 1A pesquisa aconteceu na Europa, mas o resultado serve como referência para praticamente todos os mercados, inclusive o do Brasil, onde a gente não para de ver novos modelos chegando e outros prontos para chegar. No caso do trabalho da Ford, o resultado revelou  que  os utilitários poderão representar até 27% do mercado total de veículos na Europa em 2020. Muito curioso também é a descoberta dos três novos perfis básicos de clientes dos utilitários: mães com filhos pequenos, jovens de 17 a 34 anos e os chamados “Quintastics”, novo termo para se referir a pessoas dinâmicas acima dos 50 anos.

FORD SUVS 2Para as jovens mães, esses modelos têm destaque pela forte associação com a segurança da família, bom desempenho em mau tempo, visual e estilo. No caso dos  jovens, são símbolo de sucesso, atraentes e garantem sensação de poder. Já para os cinquentões modernos,  os SUVs têm a preferência porque oferecem posição de dirigir elevada,  capacidade de chegar em todos os lugares – seja  cidade ou campo – e traduzem um estilo de vida ativo.  Mas a pesquisa revelou ainda outro dado importante sobre a percepção dos SUVs, que mudou radicalmente: 82% dos entrevistados disseram que não se trata apenas de uma questão de luxo, mas consideram importante a evolução dos utilitários, hoje mais eficientes e amigos do meio ambiente. Ou seja meu amigo, os SUVs realmente estão com tudo, pois estão conseguindo, como poucos, falar a língua de todas as idades e estilos.

2008

Maio Amarelo luta contra mortes no trânsito

Assim como os carros que a gente tanto gosta não param de evoluir, precisamos muito também de evolução em nosso comportamento no trânsito. Esse é um dos alertas do Movimento Maio Amarelo, lançado em 2014 pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, uma organização não governamental sem fins lucrativos criada para promover ações com foco na redução dos índices de acidentes de trânsito. A inspiração vem dos movimentos Outubro Rosa e Novembro Azul, que tratam dos temas câncer de mama e próstata, respectivamente.

MaioAmareloUma verdade dura: números oficiais de 2014 indicam que o trânsito matou mais de 43 mil pessoas, valor igual e até superior do que vemos em conflitos de guerra como o da Síria num mesmo período. Fato comprovado também bem é que a maioria dos acidentes de trânsito são provocados por falha humana, resultado da imprudência e da falta de educação, ou seja, falta de consciência.

amarelo InstaMas é verdade também que o problema é simples de resolver,  basta um pouco de esforço para respeitar as regras básicas do trânsito, lembrar que somos motoristas e também pedestres, enfim, aprender a criar uma convivência pacífica nas ruas e estradas. O Maio Amarelo  quer chamar nossa atenção para o alto índice de mortes e feridos no trânsito. Então, que tal aproveitar as muitas ações deste movimento para começar a mudar o seu comportamento e tentar influenciar as pessoas que estão à sua volta?

O Maio Amarelo é um movimento para todo o ano, para toda a vida. Já o automóvel que a gente tanto gosta, deve e pode seguir como um grande companheiro para nos levar a todos os lugares, como sempre foi.  Com muito conforto e, naturalmente, com absoluta segurança. É ou não é?